Queda de Cabelo

Quais hormônios causam queda de cabelo: Entendendo o impacto hormonal

A queda de cabelo é um problema que afeta muitas pessoas, tanto homens quanto mulheres. Muitos fatores podem contribuir para a perda de cabelo, como genética, estresse, doenças, medicamentos, nutrição, entre outros. No entanto, um dos fatores mais importantes para a queda de cabelo são os hormônios.

Publicidade
hormônios causam queda de cabelo
Vamos explorar os principais hormônios envolvidos e o impacto na saúde capilar!

Os hormônios são substâncias químicas produzidas pelo nosso organismo que regulam diversas funções, como crescimento, metabolismo, reprodução, humor, sono, etc. Eles também influenciam a saúde dos nossos cabelos, pois atuam nos folículos capilares, que são as estruturas responsáveis pelo nascimento e crescimento dos fios.

Alguns hormônios podem estimular o crescimento dos cabelos, enquanto outros podem inibir ou causar a queda. Por isso, é importante entender quais são os principais hormônios envolvidos nesse processo e como eles afetam os nossos cabelos.

Queda de cabelo por hormônios: Testosterona e DHT

A testosterona é um hormônio sexual masculino, mas também é produzido em pequenas quantidades pelas mulheres. Ele é responsável por características como massa muscular, força, voz, barba, etc. Ele também pode afetar os cabelos, pois é convertido em outro hormônio chamado dihidrotestosterona (DHT).

O DHT é um hormônio androgênico, ou seja, que estimula características masculinas. Ele se liga aos receptores dos folículos capilares e pode causar a miniaturização dos mesmos, ou seja, a redução do seu tamanho e da sua capacidade de produzir fios saudáveis e fortes.

Esse processo é chamado de alopecia androgenética, ou calvície, e é a causa mais comum de queda de cabelo em homens e mulheres. A alopecia androgenética tem uma forte influência genética, ou seja, depende da sensibilidade dos folículos ao DHT e da quantidade de receptores que eles possuem.

A alopecia androgenética se manifesta de formas diferentes em homens e mulheres. Nos homens, ela costuma causar o recuo da linha frontal dos cabelos, formando as famosas “entradas”, e a perda de cabelos na coroa da cabeça, formando uma “coroa de frade”. Nas mulheres, ela costuma causar o afinamento e a rarefação dos cabelos em toda a cabeça, principalmente na parte superior e frontal, mas sem recuar a linha frontal.

O tratamento da alopecia androgenética visa bloquear a ação do DHT nos folículos capilares, seja por meio de medicamentos orais ou tópicos, como finasterida, dutasterida, minoxidil, etc., ou por meio de procedimentos cirúrgicos, como o transplante capilar.

Estrogênio e progesterona

O estrogênio e a progesterona são hormônios sexuais femininos, mas também são produzidos em pequenas quantidades pelos homens. Eles são responsáveis por características como desenvolvimento das mamas, ciclo menstrual, gravidez, etc. Eles também podem afetar os cabelos, pois atuam de forma antagonista ao DHT.

O estrogênio e a progesterona podem estimular o crescimento dos cabelos, pois prolongam a fase anágena dos folículos, que é a fase de crescimento ativo dos fios. Eles também podem proteger os folículos da ação do DHT, pois competem pelos mesmos receptores.

Por isso, os níveis de estrogênio e progesterona podem influenciar na saúde dos cabelos, principalmente nas mulheres. Quando esses hormônios estão em equilíbrio, os cabelos tendem a ficar mais fortes, brilhantes e volumosos. Quando eles estão em desequilíbrio, os cabelos tendem a ficar mais fracos, opacos e quebradiços.

Alguns fatores que podem causar o desequilíbrio hormonal nas mulheres são: menopausa, síndrome dos ovários policísticos, uso de anticoncepcionais, gravidez, amamentação, estresse, etc. Esses fatores podem levar a uma queda de cabelo temporária ou crônica, chamada de eflúvio telógeno ou alopecia difusa.

O eflúvio telógeno é caracterizado pela passagem prematura dos folículos da fase anágena para a fase telógena, que é a fase de repouso e queda dos fios. Isso causa uma perda de cabelo difusa, ou seja, em toda a cabeça, mas sem afetar a linha frontal.

O tratamento do eflúvio telógeno visa restaurar o equilíbrio hormonal, seja por meio de medicamentos, como anticoncepcionais, hormônios bioidênticos, etc., ou por meio de mudanças no estilo de vida, como alimentação, exercícios, redução do estresse, etc. O tratamento também pode incluir suplementos vitamínicos, minoxidil, entre outros.

Queda de cabelo por hormônios: Tireoide

A tireoide é uma glândula localizada no pescoço que produz hormônios que regulam o metabolismo do nosso organismo, como o T3 e o T4. Esses hormônios também influenciam a saúde dos nossos cabelos, pois atuam na síntese de proteínas, como a queratina, que é o principal componente dos fios.

Quando a tireoide funciona normalmente, os hormônios T3 e T4 estão em equilíbrio e os cabelos ficam saudáveis e fortes. Quando a tireoide funciona de forma inadequada, os hormônios T3 e T4 podem ficar em excesso ou em falta, causando problemas como o hipertireoidismo ou o hipotireoidismo.

O hipertireoidismo é caracterizado pelo excesso de hormônios tireoidianos, que aceleram o metabolismo e causam sintomas como nervosismo, insônia, perda de peso, palpitações, etc. O hipertireoidismo também pode afetar os cabelos, pois acelera o ciclo de crescimento dos fios, levando a uma queda de cabelo difusa e precoce.

O hipotireoidismo é caracterizado pela falta de hormônios tireoidianos, que reduzem o metabolismo e causam sintomas como cansaço, sonolência, ganho de peso, depressão, etc. O hipotireoidismo também pode afetar os cabelos, pois diminui a síntese de proteínas, levando a um enfraquecimento e ressecamento dos fios.

O tratamento do hipertireoidismo e do hipotireoidismo visa normalizar os níveis de hormônios tireoidianos, seja por meio de medicamentos, como levotiroxina, metimazol, etc., ou por meio de procedimentos cirúrgicos ou radioativos, como a tireoidectomia ou a iodo-terapia.

FAQ sobre queda de cabelo hormonal

1. O que é queda de cabelo hormonal?

A queda de cabelo hormonal é a perda de cabelo causada por um desequilíbrio ou uma alteração nos níveis de hormônios no organismo. Os hormônios são substâncias químicas que regulam diversas funções do corpo, incluindo o crescimento dos cabelos.

2. Quais são os principais hormônios que afetam os cabelos?

Os principais hormônios que afetam os cabelos são: testosterona, dihidrotestosterona (DHT), estrogênio, progesterona, T3 e T4. Esses hormônios podem estimular ou inibir o crescimento dos cabelos, dependendo do tipo, da quantidade e da sensibilidade dos folículos capilares.

3. Como a testosterona e o DHT causam a queda de cabelo?

A testosterona é um hormônio sexual masculino que pode ser convertido em DHT, um hormônio androgênico que estimula características masculinas. O DHT se liga aos receptores dos folículos capilares e pode causar a miniaturização dos mesmos, ou seja, a redução do seu tamanho e da sua capacidade de produzir fios saudáveis e fortes. Esse processo é chamado de alopecia androgenética, ou calvície, e é a causa mais comum de queda de cabelo em homens e mulheres.

4. Como o estrogênio e a progesterona influenciam os cabelos?

O estrogênio e a progesterona são hormônios sexuais femininos que atuam de forma antagonista ao DHT. Eles podem estimular o crescimento dos cabelos, pois prolongam a fase anágena dos folículos, que é a fase de crescimento ativo dos fios. Eles também podem proteger os folículos da ação do DHT, pois competem pelos mesmos receptores.

5. O que é eflúvio telógeno?

O eflúvio telógeno é uma queda de cabelo temporária ou crônica causada por um desequilíbrio hormonal, principalmente nas mulheres. Ele é caracterizado pela passagem prematura dos folículos da fase anágena para a fase telógena, que é a fase de repouso e queda dos fios. Isso causa uma perda de cabelo difusa, ou seja, em toda a cabeça, mas sem afetar a linha frontal.

6. O que é hipertireoidismo e hipotireoidismo?

O hipertireoidismo e o hipotireoidismo são problemas na glândula tireoide, que produz hormônios que regulam o metabolismo do organismo, como o T3 e o T4. Esses hormônios também influenciam a saúde dos cabelos, pois atuam na síntese de proteínas, como a queratina, que é o principal componente dos fios. O hipertireoidismo é caracterizado pelo excesso de hormônios tireoidianos, que aceleram o metabolismo e causam sintomas como nervosismo, insônia, perda de peso, palpitações, etc. O hipertireoidismo também pode afetar os cabelos, pois acelera o ciclo de crescimento dos fios, levando a uma queda de cabelo difusa e precoce. O hipotireoidismo é caracterizado pela falta de hormônios tireoidianos, que reduzem o metabolismo e causam sintomas como cansaço, sonolência, ganho de peso, depressão, etc. O hipotireoidismo também pode afetar os cabelos, pois diminui a síntese de proteínas, levando a um enfraquecimento e ressecamento dos fios.

7. Como diagnosticar a queda de cabelo hormonal?

Para diagnosticar a queda de cabelo hormonal, é preciso consultar um médico especialista, como um endocrinologista ou um dermatologista, que irá avaliar o histórico clínico, os sintomas, o padrão de queda de cabelo e os exames laboratoriais. Os exames podem incluir a dosagem dos níveis de hormônios, como testosterona, DHT, estrogênio, progesterona, T3 e T4, além de outros marcadores, como ferritina, vitamina D, zinco, etc.

8. Como tratar a queda de cabelo por hormônios?

O tratamento da queda de cabelo hormonal depende do diagnóstico e da causa do problema, mas geralmente envolve o uso de medicamentos que bloqueiam, substituem ou equilibram os hormônios, além de suplementos, minoxidil, transplante capilar, entre outros. Alguns exemplos de medicamentos são: finasterida, dutasterida, anticoncepcionais, hormônios bioidênticos, levotiroxina, metimazol, etc.

9. Quais são os efeitos colaterais e as contraindicações dos medicamentos para a queda de cabelo hormonal?

Os medicamentos para a queda de cabelo por hormônios podem ter efeitos colaterais e contraindicações, que devem ser avaliados pelo médico antes de iniciar o tratamento. Alguns efeitos colaterais podem ser: alterações no libido, na fertilidade, no humor, no peso, na pressão arterial, na glicemia, no colesterol, etc. Algumas contraindicações podem ser: gravidez, amamentação, alergia, doenças hepáticas, renais, cardíacas, etc.

10. Quais são as dicas para prevenir e cuidar dos cabelos com queda hormonal?

Algumas dicas para prevenir e cuidar dos cabelos com queda hormonal são:

  • Manter uma alimentação balanceada e rica em nutrientes, como proteínas, vitaminas, minerais, ácidos graxos, etc.
  • Evitar o consumo excessivo de álcool, tabaco, cafeína, açúcar, sal, etc.
  • Praticar atividades físicas regularmente, para melhorar a circulação sanguínea, a oxigenação e a eliminação de toxinas.
  • Reduzir o estresse, que pode afetar os níveis de hormônios e a saúde dos cabelos.
  • Hidratar e nutrir os cabelos com produtos adequados ao seu tipo e necessidade, como xampus, condicionadores, máscaras, óleos, etc.
  • Evitar o uso excessivo de secadores, chapinhas, químicas, tinturas, etc., que podem danificar os fios e o couro cabeludo.
  • Fazer massagens no couro cabeludo, para estimular os folículos capilares e a produção de óleo natural.
  • Cortar as pontas dos cabelos periodicamente, para evitar as pontas duplas e o ressecamento.
  • Usar pentes e escovas de cerdas macias, para evitar a quebra e a tração dos fios.
  • Dormir bem, para favorecer a regeneração celular e a síntese de hormônios.

Conclusão

A queda de cabelo é um problema que pode ter diversas causas, mas uma das mais importantes é o impacto hormonal. Os hormônios podem estimular ou inibir o crescimento dos cabelos, dependendo do tipo, da quantidade e da sensibilidade dos folículos capilares.

Por isso, é importante conhecer quais são os principais hormônios envolvidos na saúde dos cabelos e como eles podem causar a queda de cabelo. Alguns deles são: testosterona, DHT, estrogênio, progesterona, T3 e T4.

O tratamento da queda de cabelo hormonal depende do diagnóstico e da causa do problema, mas geralmente envolve o uso de medicamentos que bloqueiam, substituem ou equilibram os hormônios, além de suplementos, minoxidil, transplante capilar, entre outros.

Se você sofre de queda de cabelo e suspeita que a causa seja hormonal, procure um médico especialista, como um endocrinologista ou um dermatologista, para fazer os exames necessários e iniciar o tratamento adequado. Assim, você poderá recuperar a saúde e a beleza dos seus cabelos.